Written by

Tendências da Economia Digital para 2018

Mobile, Slide, Todos| Views: 254

Expectativas para 2018 já começaram e o que apostar para a Economia Digital?

 

Com a revolução da informação ou revolução tecnológica, a internet exerce uma forte influência no mundo dos negócios. Tal transformação tem provocado várias mudanças em nosso cotidiano e, consequentemente, no ambiente empreendedor. A internet está se tornando o principal veículo da economia digital, e vem exercendo forte impacto na vida das pessoas e das empresas.

O uso da internet para descobrir o que os clientes querem, manter-se informado das ações dos concorrentes, produzir publicidade e usar o feedback dos clientes para modificar e impulsionar novidades em produtos, ajuda a melhorar a imagem da empresa e a sua marca no mercado.

 

Mas afinal, o que é a Economia Digital?

 

Trata-se de setores que se baseiam em tecnologias digitais, como serviços audiovisuais, telecomunicações, bens eletrônicos e tecnologia da informação. Esse fenômeno da atualidade surgiu por volta da década de 1990, no segmento comercial, o e-business, e também no segmento público com o e-procurement – sites dedicados a compras de matérias-primas e insumos industriais.

 

Um dos grandes ramos da economia digital é a Inteligência Artificial

 

 

Seu impacto somado com a digitalização financeira será dramático não só para grandes grupos empresariais, mas também para a sociedade como um todo. Alguns estudos apontam que de 70-80% das funções atuais vão desaparecer ou serão drasticamente modificadas nos próximos 20 anos.

 

O efeito da IA na economia é lancinante. Segundo um estudo da PwC (Sizing the prize: What’s the real value of AI for your business and how can you capitalise?) a IA poderá integrar mais de 15 bilhões de dólares à economia global em 2030. Entretanto, não se pode esquecer que tal advento vai além das consequências econômicas. Um outro estudo intitulado “Artificial Intelligence and National Security” nos chama a atenção pelo fato de que a IA pode ser considerada tão transformadora para o campo militar de um país como as bombas nucleares.

 

A grande questão agora é falarmos de um outro viés: o Marketing Digital

 

O marketing digital ganha importância pela própria expansão do e-commerce, já que com o aumento de compras via internet através de smartphones é quase que obrigatório, caso contrário seria até um ofensa rsrs, oferecer uma experiência agradável ao cliente, visto que passamos a falar de uma reciprocidade na comunicação que favorece o desenvolvimento da autonomia e da autoafirmação de ambos os lados (consumidor e empresa).

 

A partir disso, fica interessante pontuar a pesquisa realizada pela Smart Insights com 850 profissionais de marketing que responderam a pergunta: “qual a tendência de marketing que mais impactará a empresa em 2018?”. Cerca de 20% apontaram o Marketing de Conteúdo como a mais importante. Em segundo lugar ficou o Big Data e em terceiro a inteligência artificial e o machine learning, ambas com 14% de adesão.

 

Mas qual o por quê dessa importância toda? O marketing de conteúdo é uma “maneira de engajar seu público-alvo e crescer sua rede de clientes através da criação de conteúdo relevante e valioso, atraindo, envolvendo e gerando valor para as pessoas de modo a criar uma percepção positiva da sua marca e assim, gerar mais vendas”.

 

De acordo com a Content Trends 2017, 71% das empresas adotam a estratégia de marketing de conteúdo e 58,3% pretendem adotar e já deram início a fase de implementação.

 

 

As tendências de Marketing para executar em 2018

 

Integração de processos

 

Dados soltos impedem a consistência das informações ocorrem sempre que um sistema de dados é incompatível ou não está integrado com outros sistemas.

Unir todos estes pontos e conectá-los para trabalhar a UX  de uma forma otimizada é um dos principais problemas que as organizações precisam enfrentar em 2018.

Segundo informes da Smart Insights, apenas 6% das empresas acreditam que seu processo de integração está completamente otimizado, ao passo que 32% estão trabalhando nisso.

 

Atividades de Marketing e ciclo do cliente

 

Vivemos falando de melhorar a performance quando o assunto é cliente. Como fazer isso? Técnicas como definir personas e mapear o cliente ajudam a definir as comunicações e experiências mais relevantes, juntamente a isso podemos incluir a melhora da UX com a personalização e individualização do site.

 

Aqui colocamos os níveis de tipificação da experiência:

 

  1. Otimização: experiências estruturadas. Google Optimize é um exemplo de um desses serviços;
  2. Segmentação: conteúdos especializados para aumentar o direcionamento e a conversão;
  3. Personalização: uso da tecnologia de inteligência artificial para oferecer uma experiência individualizada para a cada cliente.

 

 

 

Ou seja, tudo se resume na transformação digital. Os consumidores estão mudando de comportamento, às vezes bem mais rápido que qualquer estudo possa acompanhar, e as empresas necessitam acompanhar e estar por dentro dessas mudanças. A transformação digital é um processo em que as empresas utilizam a tecnologia como um meio de dar velocidade à resposta, fornecer um atendimento personalizado, melhorar o desempenho e aumentar o alcance da sua marca, priorizando seus clientes e funcionários. Lembre-se, eles esperam as melhores experiências e não vão pensar duas vezes em fazer essa exigência.

Comments

comments

Inscreva-se na nossa Newsletter